Sugestões para reduzir o sal à mesa

Sugestões para reduzir o sal à mesa

Existem provas científicas de que, o atual consumo elevado de sal em toda a Europa é um fator importante de hipertensão e, por conseguinte, de doenças  cardiovasculares, do aumento do risco do aparecimento de determinados tipos de cancros, de sobrecarga do funcionamento renal e de uma maior retenção de líquidos pelo organismo.

A elevada prevalência dos fatores de risco das doenças cardiovasculares em Portugal obriga a que se tenha especial atenção à sua efetiva prevenção. Assim, apresentam-se algumas sugestões práticas, que os consumidores poderão ter em atenção, para reduzir o consumo de sal:

  • Diminuir gradualmente a quantidade de sal que se adiciona durante a confeção das refeições;

  • Não levar o saleiro para a mesa;

  • Substituir o sal usado na confeção das refeições por ervas aromáticas (ex: salsa, hortelã, coentros, óregãos, tomilho, alecrim, etc), especiariais (ex: pimenta, colorau/pimentão, açafrão, noz-moscada, caril, etc) ou sumo de limão;

  • Leia cuidadosamente os rótulos dos alimentos, compare e opte por alimentos que tenham menos quantidade de sódio (Na);
  • Evitar consumir alimentos com elevado teor de sal, como por exemplo: batatas fritas de pacote, aperitivos salgados, enchidos, sopas instantâneas, refeições enlatadas, produtos de salsicharia, charcutaria e alimentos fumados, determinados tipos de queijo, azeitonas, molhos.

A Organização Mundial de Saúde recomenda que não se ultrapasse o consumo de 5 gramas de sal por dia.

Sugestões para reduzir o sal à mesa
Voltar